Era Axial é o nome cunhado pelo filósofo alemão Karl Jaspers para designar um período da história humana, de cerca de setecentos anos, que vai de 900 a 200 AC, durante o qual surgiram as quatro grandes vertentes religiosas fundamentais ao desenvolvimento da espiritualidade humana, são eles: o Taoísmo, na China; o Hinduísmo e o Budismo, na India; o Judaísmo (monoteísmo) em Israel; o Racionalismo Filosófico, na Grécia.

        A Primeira Era Axial assinala o início da humanidade como hoje a conhecemos. Durante esse período, homens e mulheres tomaram consciência, de uma forma sem precedentes até então, de sua existência, natureza e limitações. A sensação de absoluta impotência num mundo cruel levou-os a buscarem mais altas metas e uma realidade absoluta nas profundezas de seu próprio ser. Os grandes sábios da época ensinaram os seres humanos a enfrentar a miséria da vida, transcender suas fraquezas e viver em paz no meio deste mundo imperfeito. A sociedade moderna ainda se sustenta sobre os valores e princípios estabelecidos nesse período.

        A Primeira Era Axial se caracteriza por uma reviravolta no pensamento religioso. Antes baseado em rituais rígidos, que visavam apenas controlar a natureza, na Primeira Era Axial, o pensamento religioso voltou-se para a compreensão da natureza das coisas, da origem da vida e, especialmente, o sentido da vida humana. A moral e a ética forjadas nessa Era continuam a alimentar homens e mulheres até hoje. Sidharta Gautama, o Buddha, iria se tornar um dos mais importantes e típicos luminares da Primeira Era Axial, junto com os grandes profetas hebraicos dos séculos VIII, VII, VI; Confúcio e Lao-tsé, que reformaram as tradições religiosas da China nos séculos VI e V; o sábio iraniano Zoroastro (Zarathrusta), do século VI; e Sócrates e Platão (c.427-327), que exortaram os gregos a questionarem até mesmo as verdades que pareciam evidentes por si mesmas.

        As pessoas que participaram dessa grande transformação estavam convencidas de que se achavam no limiar de uma nova era, e que nada jamais voltaria a ser a mesma coisa. Após essa era fundamental, sentiu-se que só indo além de seus limites podiam os seres humanos tornarem-se mais plenamente eles mesmos. O interessante é que todos os sábios desse período parecem seguir um caminho comum quando conclamam seus contemporâneos a radicais mudanças em suas vidas sem nunca terem tido contato entre si em seu período de vida, tudo acontecendo mais ou menos ao mesmo tempo e de forma inconsciente, como que movido por uma mesma necessidade, a busca de um sentido para a vida impulsionando o ser humano a uma superação de si mesmo de forma a transcender a existência material diante do terror criado pela consciência da morte.

        Mas, também houve uma Segunda Era Axial, conforme descrito por Lloyd Geering, que se iniciou na Europa Ocidental, quando as formas tradicionais de Cristianismo começaram a ser criticamente examinadas, começando com a Reforma Protestante e continuando através do Iluminismo. Essa mudança envolveu a crítica de todo o pensamento metafísico, e também começou a influenciar o mundo não-Cristão, mais profundamente do que o Cristianismo tradicional foi capaz. À essa era se seguiu uma terceira fase ou período que Geering chama de Era Pós-Axial. Essa terceira fase pode ser chamada também de Global, desde que é global em sua expansão, tendo subordinado todas as culturas a valores comuns para toda a humanidade, como, por exemplo, o moderno conceito de direitos humanos. Ela também pode ser chamada de Fase Secular, uma vez que coloca sua atenção neste mundo em vez de em algo além deste mundo. Nessa Fase Global ou Secular da cultura, dominada pelo pensamento científico, nós colocamos o foco da atenção majoritariamente sobre a espécie humana e nos tornamos conscientes do que todo ser humano tem em comum, independentemente de classe, raça, religião, gênero ou idade. Descobrimos a origem comum de todas as linguagens, códigos morais e tradições religiosas; descobrimos que elas, longe de serem absolutas e eternas, são relativas em tempo e lugar. O advento da cultura Global Secular não torna sem valor as tradições religiosas trans-étnicas assim como estas não desvalorizam as culturas étnicas que subordinam. Mas, essas tradições religiosas precisam experimentar mudanças radicais se quiserem continuar a desempenhar um papel positivo na Era que vem a seguir. A fase Global da cultura humana nos conduziu a uma situação que criou enormes problemas e dificuldades que desafiam a humanidade e clamam por soluções, para as quais se fazem necessárias novas formas de liderança espiritual, capazes de nortear o uso do conhecimento científico e tecnológico acumulado até agora de forma construtiva.

        Assim como descobrimos que todas as línguas, religiões e culturas são humanamente criadas, agora sabemos que somos parte da complexa evolução ecológica da vida neste planeta. O que levou milênios para evoluir, nós humanos, agora, temos a capacidade de destruir. Nós podemos destruir deliberadamente, como fazemos nas guerras, ou podemos destruir por ignorância, pela grosseira interferência na ecologia planetária da qual toda a vida depende, inclusive a nossa. A noção de salvação assumiu um significado totalmente novo na fase Global. No calendário Cristão há o nascimento de Jesus que divide a história em duas. Na escala global da história da cultura humana há as duas Eras Axiais que dividem a história humana em três fases sucessivas: A Étnica, a Trans-Étnica e a Global. As duas Eras Axiais, até o presente, são os dois grandes pontos de mutação da evolução cultural da espécie humana. O que vem depois disso?

        Estamos diante do surgimento da Terceira Era Axial, que surgirá dessa necessidade de uma nova visão da espiritualidade, que deverá ser independente das grandes tradições religiosas que da Primeira Era Axial, uma espiritualidade não dogmática, independente de crenças fundamentalistas, integrada ao conhecimento científico e capaz de resgatar os valores estabelecidos na Primeira Era Axial e levá-los mais além através de um novo salto de consciência. A Terceira Era Axial está em construção nesse exato momento histórico e, pela primeira vez, podemos participar de um ponto de mutação da história de forma consciente, com todo o conhecimento acumulado pela cultura e ciência humana até agora. Essa é, portanto, uma Era sem precedentes. No momento, cada ser humano está diante de duas opções: participar conscientemente da mudança e colaborar com ela, ou ignorá-la e ser atropelado. Desta Terceira Era, surgirá um mundo totalmente novo - o período ou Fase Consciencial - baseado em uma profunda evolução de consciência de toda a humanidade, cujas características ainda mal podemos imaginar atualmente, mas do qual podemos ter alguns vislumbres antecipatórios, que nos são apresentadas por alguns espíritos visionários, pessoas iluminadas - como foram os profetas da antiguidade - as quais, no entanto, não falam inspiradas por alguma entidade divina, mas por sua percepção intuitiva, consciente e profunda da realidade, como Bárbara Marx Hubbard, segundo a qual, vivemos em um tempo sem precedentes ... temos o poder de destruir o mundo como o conhecemos ... ou co-criar um futuro de possibilidades incomensuráveis.

        Nós somos a geração com uma escolha. Escolher usar esse poder de forma ética e eficaz em direção a um futuro positivo é o que chamamos de Evolução Consciente.

 

Fontes:


Wikipedia

A Grande Transformação, Karen Armstrong, Ed Companhia das Letras

Era Axial, Blog Arte das Artes

Uma História de Deus, Karen Armstrong, Ed Companhia de Bolso

The Axial Period, The Encyclopedia of World History

The Axial Periods, Lloyd Geering

A Escada em Espiral, Karen Armstrong, Ed Comapanhia das Letras

The Significance of the Axial Age - John D. Mayer

 

Exibições: 1337

Comentar

Você precisa ser um membro de Projeto Crisálida para adicionar comentários!

Entrar em Projeto Crisálida

Badge

Carregando...

Aniversários

Não há aniversários hoje

Sobre

© 2018   Criado por Projeto Crisálida.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço