O Papel da Consciência na Visão Integrativa da Saúde

A visão integrativa da saúde considera todas as possibilidades que possam contribuir com a manutenção ou restauração da saúde do bem estar. Assim, podem ser utilizados recursos de várias fontes, tanto da medicina científica ocidental, da medicina tradicional chinesa ou de outras tradições e de processos e práticas complementares. Mesmo técnicas que ainda não sejam cientificamente comprovadas do ponto de vista estrito, através de estudos científicos controlados para verificação de replicação de resultados, podem ser utilizados dentro dessa visão sempre que houver evidências empíricas de seus benefícios para a saúde e o bem estar. Tudo que gera bem estar, à princípio tem um valor favorável à saúde, pois o bem estar é produto da percepção integral de bom funcionamento do organismo. Uma questão que sempre foi e continua sendo controversa é a da consciência e de como ela pode afetar nossa saúde.

    Sri Aurobindo foi um místico indiano cujo tema central era a evolução da vida humana em vida divina. Ele considerava que o humano é um ser transicional e não final. Nessa visão evolução da consciência será o próximo passo na evolução da humanidade. Mas o que é consciência? Essa é uma questão ainda não suficientemente compreendida e alvo de grandes controvérsias. Consciência é algo que surge da fisiologia cerebral ou algo que está além dela? Na visão da neurociência a consciência é apenas um produto da atividade cerebral. Na visão de Aurobindo a consciência é mais do que um fenômeno mental, embora seja inseparável da fisiologia das células cerebrais. A relação mente/corpo é como a relação entre água e humidade. Não se pode por a água de um lado da sala e a umidade do outro. Uma consciência harmoniosa depende de uma fisiologia harmoniosa. Uma fisiologia perturbada cria um estado mental aflitivo. visão integrativa reside na ideia da indivisibilidade da mente/corpo; uma superação da visão dualista, que vê o corpo e a mente como duas entidades separadas e autônomas. Como uma consciência desperta é o pico do desenvolvimento humano, esse é um fator crítico para a saúde.

A visão integrativa é um modelo compreensivo da saúde e do processo de cura, que inclui os quatro aspectos fundamentais da experiência humana: psico-espiritual, biológico, interpessoal e social. Cada um desses aspectos da vida contribui para a saúde. Uma perturbação em quaquer um deles também pode contribuir para o desenvolvimento de doenças. De acordo com a teoria integrativa, o desenvolvimento harmônico desses aspectos leva a uma melhora progressiva da saúde: elevação da consciência; cuidado com as necessidades biológicas; mudança do foco pessoal para o foco interpessoal e trazer significado e serventia para nossas atividades sociais. O resultado é não apenas uma redução do risco de adoecimento como desemvolvimento de um progressivo bem estar. O despertar e desenvolvimento da consciência tem sido o aspecto mais negligenciado de todos e, no entanto, do ponto de vista integrativo, é justamente o mais importante de todos, pois é justamente o que faz a integração entre os demais.  

Na moderna sociedade ocidental, nós temos negado e subvalorizado o desenvolvimento interior. Como resultado, na maioria dos indivíduos, a consciência permanece relativamente não desenvolvida, se comparado a culturas que enfatizam o desenvolvimento interior. Os outros três aspectos do processo integrativo - interpessoal, biológico e social - estão atrelados ao crescimento da consciência humana, ou seja, precisam necessariamente andar juntos, como cavalos atrelados a uma carruagem. Por exemplo, não podemos ter relacionamentos saudáveis e amorosidade altruista sem o desenvolvimento da consciência. Um sutil aperfeiçoamento da capacidade de auto-regulação mente/corpo, que é obtido pela evolução da consciência, traz avanços posteriores na saúde biológica. Uma mudança na nossa maneira de conceber e experimentar o mundo como estando a serviço de nossas necessidades para a concepção de que nós é que estamos a serviço do mundo requer um salto no nível de consciência. Assim sendo, o despertar e desenvolvimento da consciência é o fator subjacente que conduz a expansão da visão integrativa da saúde e dos processos de cura. O processo de desenvolvimento interior não significa desconsiderar os outros aspectos da experiência humana, mas representa uma mudança de foco consequente ao reconhecimento do papel central de uma consciência desperta: da conexão da nossa consciência com a Consciência Cósmica. Sem colocar o foco no crescimento da consciência os outros aspectos de nossa vida não podem ser plenamente desenvolvidos, é simplesmente impossível.

O desenvolvimento interior depende de duas áreas principais: treinamento mental e aprendizado da sabedoria. O treinamento mental se concentra em afastar da mente as emoções aflitivas e negativas substituindo-as por atitudes mentais saudáveis. Isso inclui regular a hiperatividade mental, desenvolver a capacidade de atenção e concentração mental (mindfulness), promover a atitude de amorosidade e gentilesa, obter conhecimentos básicos sobre o funcionamento da mente eadotar uma atitude básica de gratidão em relação a Vida. O aprendizado da sabedoria se concentra na reposição de falsas crenças, que estão por trás das emoções negativas, por entendimentos corretos. A sabedoria é a base para um conhecimento mais preciso e acurado da realidade.

O desenvolvimento da consciência precisa ser promovido através do cultivo de atitudes mentais saudáveis, capazes de favorecerem a saúde e o bem estar. Isso inclui: limpar a mente dos pensamentos e emoções negativas crônicas; identificar as causas básicas do distresse e do sofrimento; cultivar amorosidade e gentilesa; experimentar o trabalho como um serviço; perceber as adversidades como oportunidades; saber o que crenças cultivar e quais abandonar; e outros assuntos relacionados. A atitude básica é desenvolver a capacidade de utilizar toda a experiência como uma oportunidade para o crescimento e expansão da consciência, desde as mais dolorosas às mais prazerosas, pois ambas correspondem a aspectos inexoráveis da existência, que não podem ser evitados ou totalmente afastados, apenas vivenciados. Não são os fatos em si, mas a maneira como os vivenciamos, ou seja, a atitude mental que adotamos diante dos fatos da vida que faz toda a diferença.

 

Para alcançar esse objetivo precisamos desenvolver uma nova pedagogia, diferente e mais eficaz da que utilizamos atualmente em nossa formação educacional básica. Existem muitas experiências e estudos em andamento, em várias partes do mundo, sendo levadas adiante por pessoas e grupos que já despertaram para essa necessidade. Mas, não há dúvida, que a boa pedagogia deve ter a Vida como prioridade. Uma dessas possibilidades é a Educação Biocêntrica, que se baseia no conceito de Princípio Biocêntrico, criado por Rolando Toro, segundo o qual a Vida é o fenômeno central do Universo e enuncia que "o Universo existe por causa da vida". Portanto, nós também existimos por causa da vida, não possuímos, não somos senhores do que chamamos "minha" vida ou "nossas" vidas, somos apenas uma expressão passageira da vida em seu caminho para o seu pleno desenvolvimento. A Vida não está a nosso serviço, nós estamos a serviço da Vida. Não apenas a vida humana, mas toda a manifestação de vida existente no planeta e, eventualmente, no Universo. E, no âmago da experiência vital está a consciência. O que mais caracteriza a presença de vida é a manifestação da consciência. Não há vida sem algum grau de consciência. Cada célula do nosso corpo, cada molécula de matéria orgânica, contém algum grau de consciência. A consciência é a grande organizadora da experiência vital. Portanto, a consciência não é consequência da vida, é a sua geradora, mantenedora e mentora. Logo, estar em contato e harmonia com a consciência interior é a tarefa mais importante da existência, pois só assim poderemos entrar em sintonia com a essência da Vida criando condições para o seu pleno desenvolvimento. A Vida é o que alguns de nós costumam chamar de Deus. "A Vida é uma Deusa", como dizia Rolando Toro. Servir à vida é o grande caminho para a tão almejada felicidade. Quanto mais estivermos à serviço da Vida, mais integrados e, portanto, mais felizes estaremos, pois nossas emoções estarão alinhadas com o propósito da Vida e, portanto, saudáveis. O propósito da Vida é gerar mais vida, e vida de complexidade e qualidade cada vez maior. Quando estamos contribuindo para mais vida estamos no caminho certo, no caminho da saúde e da felicidade. Quando estamos deixando de contribuir para a vida ou, pior ainda, agindo contra a vida e sua evolução, estamos no caminho do adoecimento e do sofrimento.

 

Exibições: 206

Comentar

Você precisa ser um membro de Projeto Crisálida para adicionar comentários!

Entrar em Projeto Crisálida

Badge

Carregando...

Aniversários

Sobre

© 2014   Criado por Projeto Crisálida.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço